menu

22 de outubro de 2021

INSTITUTO INHOTIM - O QUE VOU ENCONTRAR | UaiSôMochilando Blog

Inhotim: o que fazer no maior museu do mundo



Fala, galera mochileira! Já escrevi aqui sobre o Inhotim, o maior museu a céu aberto do mundo, mas não custa fazer uma postagem atualizada. Então, o que fazer no Inhotim?

Como chegar


São várias formas para se chegar a Inhotim, fomos de ônibus, que te deixa longe da entrada do museu. 
É bem econômico e super fácil. 
O museu fica em Brumadinho, cerca de 60km da capital Belo Horizonte.
A viagem dura pouco mais de 1 hora, saindo de Betim, onde moramos, mas através de carro por aplicativo, o valor pela viagem pode chegar a R$ 90,00. Se você fizer essa viagem com a família ou os amigos, você ainda pode dividir esse valor e sai ainda mais em conta o trajeto.
A vantagem de ir de carro ou com motorista de aplicativo, é o fato de você não ter de andar até o parque, como a gente acabou fazendo...

Uma opção que não nos servia, mas é muito boa para quem vai ao Inhotim partindo de Belo Horizonte, são as vans da Belvitur.  

Ingressos 


Outra dica importantíssima é você garantir o seu ingresso online, com antecedência. Isso porque o museu pode lotar e você não conseguir entrar. 
O valor do ingresso é de R$ 44,00 a inteira e R$ 22,00 meia entrada. Crianças até 5 anos não pagam entrada. Se você quiser, pode adquirir um passaporte para visitar o local por até 4 dias. 

Dia de quarta-feira, a entrada é gratuita.

Agora um doce para quem adivinhar em qual dia nós fomos?
O museu abre de terça a sexta, das 9h30 às 16h30; sábado, domingo e feriado, das 9h30 às 17h30.
Ah, e quanto a resposta para a pergunta, click aqui e veja nosso vídeo mostrando esse dia.

Instituto Inhotim


Este é o maior museu a céu aberto do mundo e, além das obras de arte, o local é ainda um jardim botânico, com muitas espécies de árvores e vegetação. 
O nome do museu é por conta do antigo dono dessas terras, um inglês chamado Tim. Aí, o pessoal da região o chamava de Nhô Tim… de "senhor Tim". 
O museu é uma propriedade privada, do empresário mineiro Bernardo de Mello Paz, que comprou a área da família do Nhô Tim, na década de 1980, e começou a criar o seu museu particular. Somente em 2006, foi aberto ao público.
Hoje, são 23 galerias e 22 instalações de artistas icônicos do século 20 e 21, tanto nacional quanto internacional. Entre as obras, estão algumas bem malucas. Tenho certeza de que você nunca viu nada parecido.
A dica é separar pelo menos um dia inteiro para visitar o local, porque o museu é muito grande. Como são mais de 140 hectares de museu, uma boa dica é utilizar o transporte interno para se locomover.

Vale ressaltar que é proibido entrar com alimentos e bebidas em Inhotim. Mas não se preocupe! Eles têm ótimos cafés e restaurantes.