menu

4 de abril de 2018

O FINAL DA AVENTURA MARIANA / OURO PRETO MG

Por: Júnior de Carvalho




Ultimo dia nessa aventura Mariana / Ouro Preto, bora fechar as ultimas horas do ultimo dia com uma caminhada pela cidade? Será que foi um boa ideia?


Como em todo ultimo dia, aquela "depressãozinha" do "acabou" queria nos deixar desanimados, mas depois de colocar uma roupa confortável e um tênis adequado para caminhar, fomos abastecer para seguir em frente. 

Se tem uma coisa que me deixou muito impressionado foi com a qualidade do hotel onde ficamos, a Pousada Clássica.

Vista de fora dá-se a impressão de ser um lugar muito simples tipo hotelzinho singelo, mas que entrarmos, conhecermos e utilizarmos de seus serviços mudamos completamente de ideia; pois os quartos não deixam a desejar se comparados a hoteis grandes que já visitamos.

Com uma equipe de atendentes atenciosos, destacando que a pousada estava cheia, logo nota-se que é um ponto muito positivo nesta pousada.

O aspecto de rústico ficou somente na fachada, ao entrar no quarto observei uma instação muito moderna e aconchegante. Ficamos muito encantados com a surpresas! 

Foi servido um café que classificamos como de alto padrão diante do que sempre acompanhamos em hotéis e com boa variedade, o que não se achar em todo hotel.

Hora de caminhar:


Seguimos a rua da pousada, no sentido da via, rumo a primeira parada. A Praça Tiradentes, que estava apenas há 2 minutos a pé da pousada.

O lugar transmite uma atmosfera histórica, emocionante, super conservado e que permite um passeio sem ter um grande investimento.

Nota-se turistas para todos os lados e é possível se identificar hospedagens, restaurantes, atrações diversas... sem andar muito.

Caminhamos até a feirinha de artesanato no Largo de Coimbra. 

Tem muita coisa interessante para se ver e logicamente comprar. Quem gosta de cerâmica, vasos, coisas do tipo, vai querer "mergulhar de braçada" em  compras, então leve dinheiro. Há muita coisa em pedra sabão e os preços são bem em conta.

Conversando com um turista, este me confidenciou que há o mesmo tipo de feririnha em Cachoeiro do Campo e que as peças que são vendidas lá são mais baratas que as de Ouro Preto, algo que não me surpreendeu.

 Ao lado da feirinha está a Igreja de São Francisco de Assis, já haviamos descido o Largo de Coimbra a pé no dia anterior, mas  desta vez optamos por olhar mais de perto essa igreja, que é um lugar onde se encontram peças do mestre Aleijadinho.


Igreja de São Francisco de Assis.


Uma das igrejas mais visitadas em Ouro Preto, esta tem muita contribuição de Aleijadinho, como já havíamos dito. 

Dentre todas que visitamos, eu achei que essa possui mais detalhes do lado de fora do que por dentro e está precisando de uma restauração ou limpeza. 

A parte interna é deslumbrante, sendo possivel ver a presença das obras barrocas. 

O teto é sensacional. Como uma dica, o guia disse que a melhor maneira de observar o teto era da visão do artista, foi então deitei em um dos bancos e admirei essa maravilha por alguns minutos.


Desta forma você não irá conseguir distinguir onde termina o teto, tamanha a genialidade do mestre Ataíde trabalhando com profundidade. 

A entrada custa 10 reais.

Simples e ao mesmo tempo muito linda. No primeiro dia não quis entrar, mas foi uma das coisas mais legais que visitamos em Ouro Preto.

Não ficamos muito tempo, mas vale a pena ir com tempo para admirar a igrejinha.


Voltando para o hotel, procuramos um lugar para almoçar antes de ir embora.

Na esquina da mesma rua da pousada achamos o Restaurante Casa do Ouvidor, que a gente imaginou que seria "caríssimo", mas que valeu e muito a pena.

Coladinho com as principais atrações da cidade, está na esquina da Praça Tiradentes, nos foi muito bem indicada por outros turístico.


Logo ao chegarmos pedimos uma guarnição para dois e refrigerante, mas a comida dava para umas 4 pessoas.

Comemos tropeiro com linguiça e bife de pernil, sem contar os ovos frios.

Estava uma delicia.

Considerando que a ideia era economizar, neste ultimo dia "quebramos a regra", mas valeu a pena.

Dá para se fazer um passeio como este que fizemos sem desembolsar muito dinheiro, para tal basta organizar-se bem e procurar os melhores preços.

O que mais custou caro para nós foi hospedagem, em Ouro Preto escolhemos um lugar indicado, mas haviam opções mais baratas. Em Mariana, escolhemos a opção mais barata.


Outra dica para não se perder tempo: Se tiver uma atração ou lugar onde você deseje ir, verifique se estará aberto e ou funcionando. 

Foi frustrante não poder aproveitar a Cachoeira do Brumado, em Mariana, embora eu já conhecia o lugar.

Somente depois de voltar para a cidade é que soube da Cachoeira do Ó e da Cachoeira do Sibrão. Lugares que já estão em nossa agenda para um próximo #kaindonaestrada.

Recomendo também, para visitar Mariana e Ouro Preto, no intuito de conhecer e aproveitar mais as atrações de ambas cidades, que você vá com tempo. Recomendariamos de quatro a cinco dias para cada uma, ficamos sem visitar muitos lugares e, por esta razão, já estamos planejando voltar.

Nenhum comentário: